15 frascos do Vinagre VIVO de Maçã [534ml] 15vina

15 frascos do Vinagre VIVO de Maçã [534ml]

Ref.: 15vina Compra Segura

VINAGRE VIVO DE MAÇÃ Um poderoso alcalinizador e desintoxicante do organismo.

R$ 195,00 Em até 3x de R$ 65,00 sem juros

Escolha uma opção

Produto indisponível

VINAGRE VIVO DE MAÇÃ
534 ml - Zero açúcar



SUGESTÃO DE USO: Uma colher de sopa diluída em um copo de água 2 a 3 vezes ao dia. Inicie a primeira semana com apenas uma colher, na segunda semana passe para duas colheres até chegar a 3 colheres por dia, sempre diluída em um copo de água. NÃO BEBA PURO.

NOTA: Produto testado e aprovado diretamente pelo professor Celso Zymon, em laboratório.


Poderá adicionar puro na salada.

Além de ser ótimo como tempero nos alimentos e na salada também possui ação benéfica para nosso organismo. Confira a seguir:


- Auxilia na alcalinização do organismo.
- Excelente coadjuvante no emagrecimento.
- Diminui acúmulo de cálculos renais.
- Alivia dores de artrite e artrose.
- Ótimo para o sistema imunológico.


Auxilia também em casos de: Dores de garganta, artritismo em geral, artritismo nos dedos, diabetes, hipertensão, dores de cabeça crônica, varizes, afecções reumaticas, acne, espinhas, pruridos de pele, coceira na cabeça, regulariza pressão arterial.

MELHORA A PELE
DIMINUI AS DORES EM GERAL
DIMINUI O DIABETES
CONTROLA A GLICOSE
DIMINUI O STRESS
DIMINUI DORES DE CABEÇA
DIMINUI CÓLICAS
COMBATE FUNGOS
COMBATE BACTÉRIAS
ALCALINIZA O CORPO
DIMINUI PREDISPOSIÇÃO AO AVC
E MUITOS OUTROS BENEFÍCIOS

Não há contraindicação observada até o momento usando as doses indicadas.



A origem da maçã se perde nas noites dos tempos. É uma fruta deliciosa e mítica, pertence árvore da família Rosaceae. Riquíssima em nutrientes de primeira ordem para manter a saúde do corpo. As maçãs contem mais de 300 compostos em sua constituição.
A maçã tem sido cultivada há milhares de anos na Ásia e Europa e veio recentemente para América do Norte trazida pelos europeus. Ela tem estado presentes na mitologia e religiões de muitas culturas, incluindo as tradições nórdica, grega e cristã, sendo uma fruta referenciada como sagrada por quase todos os povos do mundo daquela época. A maçã foi considerada, na Grécia antiga, o símbolo do amor. Na mitologia grega a maçã também esteve associada à Afrodite deusa do amor, da beleza e da sedução. Ao oferecer a maçã dourada à deusa, Páris - o príncipe de Tróia - em troca, obteve a mortal mais linda do mundo: Helena que era a esposa do rei grego Menelau. O rapto de Helena por Páris deu início à guerra de Tróia.
A maçã sempre foi uma importante fonte alimentícia em regiões de clima frio. Provavelmente, a macieira é a árvore cultivada há mais tempo pelo homem. É a espécie de fruta, à exceção dos cítricos, que pode ser conservada durante mais tempo, conservando boa parte de seu valor nutritivo. Estima-se em mais de cinco mil espécies de maçã espalhados pelo mundo.
Sobre suas propriedades extraordinárias para a saúde, a maçã contém fibras que são um forte aliado contra os altos níveis de colesterol, reduzindo assim os riscos de endurecimento das artérias, ataques cardíacos e enfartes. Ajuda também na regularidade intestinal, atuando nos problemas de prisão de ventre e de diarreia. É tônica, calmante e ativa o fígado (órgão responsável também pela depuração e desintoxicação do sangue, além de excretar a bile  fluido que atua na digestão de gorduras e absorção de substancias nutritivas).

O vinagre feito da maçã, segundo inúmeras pesquisas realizadas por esse mundo afora, desponta como uma verdadeira panaceia, pois além de ser uma das mais poderosas bebidas nutritivas conhecidas tem a faculdade de dissolver sais, produtos do metabolismo, fazendo com que sejam eliminados pelo sistema excretor do corpo. A maçã contém as seguintes vitaminas: B1, B2 e Niacina, além de sais minerais, como fósforo e ferro. Contém o ácido málico, ácido fólico, ácido acético. Também auxilia no processo de emagrecimento, pois a pectina dificulta a absorção das gorduras, da glicose e elimina o colesterol. O alto teor de potássio contido na polpa da maçã libera o sódio excedente, eliminando o excesso de água retida no corpo.
É rica em quercetina, substância que ajuda a evitar a formação de coágulos sanguíneos capazes de provocar derrames. A maçã é recomendada para pessoas com problemas de intestino, obesidade, reumatismo, gota, diabetes, enfermidades da pele e do sistema nervoso. A sua casca seca é empregada como chá para purificar o sangue e como diurético.

Para melhor aproveitamento das suas vitaminas, o ideal é consumi-la ao natural com casca, pois é junto dela que estão a maior parte das suas vitaminas e os sais minerais.

O que mais chama a atenção na maçã são os Polifenois - que são considerados os mais poderosos antioxidantes conhecidos.
Os antioxidantes têm sido referenciados nestes últimos anos como as substancias mágicas da natureza para combater os temíveis radicais livres, que por sua vez são resíduos ou metabolitos produzidos pelas células no processo da combustão ou metabolismo de nutrientes na presença do oxigênio. Cerca de 2 a 3% do oxigênio consumido por nossas células é convertido em radicais livres, tão reativos que podem romper outras moléculas. O simples envelhecimento foi vinculado a danos cumulativos por radicais livres.
A maçã sempre foi uma importante fonte alimentícia em regiões de clima frio. Provavelmente, a macieira é a árvore cultivada há mais tempo pelo homem. É a espécie de fruta, à exceção dos cítricos, que pode ser conservada durante mais tempo, conservando boa parte de seu valor nutritivo. As maçãs de inverno, colhidas no final do outono e guardadas em câmaras ou armazéns apropriados para manterem a fruta conservada por mais tempo.
Na hora de comprar, escolha as de casca de cor acentuada e brilhante, polpa firme, pesadas, sem partes moles, furos ou rachaduras. Nessas condições ela se conserva até um mês no frigorífico.
Em torno de 55 milhões de toneladas de maçãs foram cultivadas no mundo em 2005. Cerca de dois quintos desse total foi produzido na China. Cerca de 7,5% foi produzido nos Estados Unidos.
Nos Estados Unidos, mais de 60% de todas as maçãs vendidas comercialmente são cultivadas no estado de Washington. As maçãs importadas da Nova Zelândia e outras áreas mais temperadas estão competindo com a produção dos Estados Unidos e aumentando a cada ano.
A maior parte da produção da Austrália é para o consumo interno. As importações provenientes da Nova Zelândia não são aceitas, por causa de uma lei que entrou em vigor em 1921.
Os maiores exportadores de maçãs em 2006 foram: República Popular da China, Chile, Itália, França e os Estados Unidos, enquanto os maiores importadores no mesmo ano foram Rússia, Alemanha, o Reino Unido e a Holanda.



Alimentos que formam acidez e alimentos alcalinos


O equilíbrio alcalino ácido ocorre no sistema fluído dos organismos vivos, o que abrange por volta de 70% do peso do nosso corpo: 55% dos fluídos estão presentes nas células, 5% no sangue e 10% são os fluídos que envolvem as células. O pH é representado numa escala de 0 a 14, onde de 0 a 6,99 representa pH ácido, 7 é neutro e acima de 7 até 14 é alcalino. O pH do sangue é 7,4, assim ele precisa ser mantido para preservar a nossa vida. Se o pH abaixa a 6,95, podemos entrar em coma e morrer, porque o coração relaxa e não pode bater. Se o pH sobe a 7,7, pode provocar mais espasmos, tetania, convulsões, etc. Investigação cientifica demonstra que a acidez é causa das doenças, quanto mais ácido o meio interno do organismo determinados microrganismo (vírus, bactérias, fungos, etc) podem proliferar desencadeando doenças. Um ambiente ácido disponibiliza menos oxigénio (O) nos sistemas, porque o excesso de hidrogénio (H+) produzido pelo sistema ácido reage com oxigénio, diminuindo dessa forma a produção de energia adequada ao funcionamento do organismo, levando-o à degeneração. A hiperacidez é proveniente de um estilo de vida desarmonioso, stress e uma alimentação composta com grande parte de alimentos que produzem acidez. A ingestão, na maioria, de alimentos alcalinos na dieta é um grande aliado para diminuirmos a acidez do nosso corpo e equilibrarmos os sistemas do organismo. Os alimentos alcalinos são aqueles que criam uma condição alcalina no corpo por possuírem uma alta concentração de Na (sódio), K (potássio), Ca (cálcio), Mg (magnésio) e Fe (ferro), enquanto os alimentos ricos em S (enxofre, P (fósforo), Cl (cloro) e I (iodo) são ácidos. No laboratório pode-se medir o grau de acidez ou alcalinidade do alimento. Uma alimentação composta com mais de 50% de alimentos ácidos podem ocasionar grandes riscos para a saúde, predispondo ao surgimento de doenças. O ideal seria uma alimentação com mais de 80% alimentos alcalinos e 20% ácidos, dando condições ao corpo de garantir a manutenção do equilíbrio alcalino-ácido. Os ácidos vão se acumulando nos tecidos e articulações ao longo dos anos intoxicam o organismo, sobrecarregam os órgãos de eliminação e, desta forma, desencadeiam processos de doenças. Estes ácidos, muitos deles, veem da digestão do alimento inadequado ao organismo. Estes ácidos atravessam a parede do intestino que perdeu sua função seletiva devido à reações alérgicas alimentares, permitindo a passagem dessas substâncias tóxicas para a corrente circulatória. Todo o empenho dos sistemas orgânicos está voltado para manter o pH tampão (7,4 no sangue) e nesta compensação os ácidos que chegam ao sangue são imediatamente retirados e depositados nos tecidos.

Aproveite Também

Ashawagandha 60 Cápsulas 250 mg

R$ 62,00 R$ 52,00

3x de R$ 17,33 S/ JUROS